O PagSeguro é ferramenta para toda necessidade. Inclusive para a venda independente de livros. Há centenas de casos espalhados pela rede e nós conversamos com alguns vendedores para saber qual a sua experiência.

Cristiano Santos, o recordista da Vakinha, é o desenvolvedor da loja da Identidade produções. Usando a hospedagem do UOL, ele conta que a ideia surgiu para vender os livros da Dra. Ana Almeida, psicóloga e jornalista, autora de diversos livros de auto-ajuda e motivação. “Estamos há seis meses no ar e a experiência tem sido muito boa. Logo no primeiro dia, vendemos dois livros para fora do Rio”, conta Cristiano. Tudo através, claro, do PagSeguro.

Para a tradutora Claudia Mello e seu marido Roney Bellhassoff, a ferramenta tem outro uso. Grandes leitores, eles se viram com muitos livros em casa. Para abrir espaço, criaram informalmente um sebo próprio. Fotografaram as capas dos 300 livros que desejavam dispor (ainda sobraram 400 por lá), criaram um álbum onde os leitores podem escolher o exemplar desejado e o botão do PagSeguro. Desde o começo de fevereiro, já venderam mais de 50 exemplares, principalmente para os amigos, quase sem divulgação. “Com o PagSeguro é muito tranquilo vender e receber”, conta Claudia. Interessou? Clique nos links dos nomes da dupla e veja os produtos.

Já o ex-policial e advogado Roger Franchini, autor do blog CultCoolFreak, está fazendo um sucesso inesperado com seu romance Ponto Quarenta, vendido exclusivamente pelo seu blog e divulgado apenas no boca a boca. O livro acaba de ganhar a segunda impressão – e desde o início, em fevereiro do ano passado, a venda só é feita com PagSeguro. Abaixo um relato da sua experiência:

Viu que sucesso o PT40 está fazendo? É quase um best seller, considerando que a divulgação é só boca a boca.

As vendas começaram muito bem. Logo na primeira semana foram mais de 80 exemplares. Para entregar foi uma correria, não esperávamos isso tudo logo de cara. Eu imprimia pequenos lotes, de 10 a 20 exemplares, e ia vendendo conforme existia a procura. Ou seja, meu estoque era baixíssimo. Nesse esquema saíram cerca de 500 livros na primeira edição. A média foi de mais de um livro ao dia. Sem falsa modéstia, são poucos os autores nacionais que atingem essa marca!

Agora mudei o fornecedor. O livro tem uma qualidade de impressão superior, mas por outro lado tive que fazer mais exemplares do que o de costume. O preço dos números avulsos melhorou um pouco, por isso consegui fazer uma promoção para a pré-venda da segunda edição. As vendas foram retomadas e continuam boas. A experiência me valeu uma experiência única. É raro encontrar uma boa gráfica que imprima pequenos volumes a preços justos. O que encontrei por aí é gráfica fantasiada de editora, que não passa de caça-niquel. Vendem a idéia de que vão publicar seu livro, mas te cobram pelos exemplares, editoração e distribuição. Acho isso um abuso, porque o autor acaba bancando todo o trabalho. Brincam com o sonho da pessoa.

Decidi começar a distribuir livros de outros autores independentes, como eu, nesse mesmo esquema que vendas que estou fazendo com o PT40. Vou colocá-los no site a disposição dos interessados. É a chance de muitos autores desconhecidos do grande público (que não interessam às grandes editoras) ficarem disponíveis. E se vender, ótimo.

Outros exemplos de clientes que usam PagSeguro para vender seus livros:

IdeaFixa
Amigo Rico
Seu bolso no divã
Livro Papo de Homem
Dominando Flex e Zend